atualidade online sobre a União Europeia

  • 18 de Novembro, 2020

Fibrenamics investe 3 ME em “nova geração” de equipamentos de proteção individual

Fibrenamics, uma plataforma de Investigação e Desenvolvimento (I&D) da Universidade do Minho, cofinanciada pelo Programa NORTE 2020, está a conceber uma nova geração de máscaras e outros equipamentos de proteção individual, num investimento de cerca de três milhões de euros.

Em comunicado, a Fibrenamics especifica que em causa estão seis projetos de I&D, que têm por base as preocupações globais em torno da COVID-19, a sobrecarga dos sistemas de saúde e um “claro desajustamento” da oferta de equipamento de proteção face à procura.

O desenvolvimento destes projetos é realizado em conjunto com diversas entidades portuguesas e envolve um investimento total em I&D de cerca de três milhões de euros, com o apoio do Portugal 2020 e dos FEEI – Fundos Europeus Estruturais e de Investimento da União Europeia.

Os objetivos são contribuir para a diminuição da dependência de mercados externos para a matéria-prima principal (capacidade filtrante), ajudar a combater a poluição ambiental, apresentar equipamentos de proteção individual (EPI) “com níveis de proteção melhorada” e dotar a indústria nacional de capacidade técnica e científica para o desenvolvimento e produção dos mesmos.

Segundo a Fibrenamics, serão EPI, como máscaras, perneiras, batas, toucas, “coveralls” e cogulas, “com propriedades únicas, em que alguns casos, além de permitirem a sua reutilização, proporcionam ainda uma maior capacidade de filtração bacteriana e vírica, com propriedades hipoalergénicas, para utilização em contexto profissional e não profissional”.

Para o cumprimento dos objetivos propostos em cada um dos projetos, está prevista a realização de estudos em torno de novos materiais e processos, que permitam conceptualizar e desenvolver, no final, EPI funcionais, tendo por base processos produtivos “altamente eficientes, rápidos e com redução de desperdícios, no sentido de garantir uma resposta às necessidades prementes do mercado e, em particular, dos profissionais de saúde”.

Citado no comunicado, João Bessa, da Fibrenamics, refere que a preocupação é dar resposta à “procura massificada” de EPI e dispositivos médicos específicos, decorrente da pandemia de COVID-19. “Em particular, no caso dos sistemas de saúde, a procura centra-se em máscaras cirúrgicas, que previnam ou mitiguem a transmissão de agentes infecciosos entre pessoas, sendo um dos equipamentos mais procurados e com maior valor acrescentado para os utilizadores”, sublinhou.

Fibrenamics é uma plataforma internacional da Universidade do Minho que atua em vários setores, com destaque para a arquitetura, a construção, o desporto, a medicina, a proteção, os transportes e os têxteis-lar, abrangendo todo o mundo das fibras.

Alicerçada numa equipa multidisciplinar, a Fibrenamics possui 45 patentes, mais de 700 artigos publicados em conferências e revistas científicas e tem diversos produtos inovadores desenvolvidos conjuntamente com agentes industriais.

Fonte: Fibrenamics/AntenaMinho

  •  
  •  
  •  
  •